Remuneração Estratégica – Uma vantagem competitiva

REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA – UMA VANTAGEM COMPETITIVA

Muito tem se falado em Remuneração Estratégica. Existem conceitos muito superficiais, associando basicamente à Remuneração Variável.

No nosso entendimento o Sistema de RE consiste na combinação equilibrada das diferentes formas de remuneração.

  • Funcional (nominal).
  • Indireta (benefícios).
  • Variável (PLR/Bônus).
  • Incentivo de vendas.

A correta definição de uma filosofia de Remuneração Estratégica pressupõe encontrar o equilíbrio entre a eficácia dos seus elementos, a competitividade mercadológica e os seus respectivos custos.

Contudo, para ser considerada estratégica de fato, precisa assegurar seu alinhamento com os objetivos estratégicos da empresa e possibilitar as condições para que os profissionais capacitados do mercado tenham a empresa nos seus radares como objeto de desejo para fazer parte de seu time.

Evidente que este sistema por si só não resolve. As empresas precisam possuir um sistema de carreiras que possibilite que as pessoas vislumbrem seu crescimento a médio/longo (consideramos aqui prazos razoáveis diante do novo cenário de negócios).

A integração de um Plano de Carreiras e a Remuneração Estratégica já oportuniza um diferencial importante em relação aos seus competidores.

Agora imaginem, um sistema de performance moderno (tipo OKRs) e um modelo de Gestão de Talentos, qual profissional não se interessaria em, ao menos, conhecer a proposta desta empresa?

Estes elementos bem desenhados formam a arquitetura básica de um Sistema de Meritocracia Corporativa.

Mas, voltemos a nossa Remuneração Estratégica. Algumas questões, abaixo listadas, são críticas quando a empresa for adotar seu modelo:

  • O grau de risco inserido nos programas de remuneração total está alinhado com a cultura e os valores da empresa?
  • O pacote de remuneração total está definido de forma homogênea, equilibrada e em linha com o grau de risco definido como ideal?
  • A empresa conta com mecanismos eficientes de avaliação da contribuição individual e coletiva dos seus profissionais?
  • Os KPIs dos programas de incentivo estão definidos e adequados à estratégia/planos de negócios da empresa.
  • Estes KPIs direcionam os funcionários para a busca de resultados superiores, esperados pelos Acionistas?
  • A remuneração dos Executivos está estruturada e fundamentada em critérios relacionados a boas práticas de Governança Corporativa?

A Remuneração Estratégica é uma das mais importantes ferramentas da Gestão de Pessoas. Sua estruturação alinhada à cultura e objetivos da empresa, se torna um grande diferencial competitivo.

Autor
Antonio Silvano Szezecinski
Diretor do Grupo RHArte

Participe do Programa Gestão Econômica-Financeira e aprenda sobre a performance econômica e financeira das instituições.

Inscreva-se aqui!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.